julho 06, 2015

Resenhando: Deixe a neve cair

Por: Letícia

"Eu estava em um daqueles dias que em que você sente que a vida gosta de você."



Sim, estou de volta com uma resenha, já que vocês me pediram tanto. Hoje decidi falar sobre minha leitura terminada mais recente. " Deixe a neve cair", ou "Let it snow" que é título original.

Bom, o que mais chama a atenção do público leitor é o primeiro nome intitulado na capa: John Green. Como já disse antes, não sou fã do John Green. Mas alguns amigos me disseram que mesmo que eu não gostasse dele, eu amaria o livro, pois não era apenas Green que estava escrevendo-o. Então, eu fui atrás e comprei o abençoado. E não é que eu amei mesmo? O livro é simplesmente fascinante e me prendeu durante um fim de semana inteiro. Tão bom que só não direi que este é meu livro favorito do John Green porque não foi apenas ele que contribuiu, então, o título continua com Cidades de Papel. 




Basicamente, o livro é constituído de três contos, cada um escrito por um autor. Cada conto com um protagonista diferente. O que eles tem em comum? O mesmo cenário. Os três contos se passam numa cidadezinha chamada Gracetown, e é assim que os três contos românticos e seus personagens irão se encontrar. Gracetown foi atingida por uma nevasca que:



1. Aprisionou uma garota num trem cheio de líderes de torcidas empolgadas e um garoto desesperado para encontrar sua ex-namorada.

2. Fez três amigos correrem até uma lanchonete levando um twister para líderes de torcidas que chegaram na cidade.
3. Deprimiu uma garota porque o trem que trazia seu namorado foi parado por causa dos trilhos repletos de neve.


E tudo isso de forma engraçada e romântica.



O enredo é bem dinâmico e sentimental, e é isso que eu mais amo em histórias. Quem lê minhas fics me conhece o bastante para reconhecer meu tipo de escrita e sabe que sempre coloco os sentimentos dos personagens bem expressos na história, pois sou do tipo que apenas escreve o que gostaria de ler. 




~O expresso Jubileu



Jubileu - sim, este é o nome da garota, e vocês descobrirão o porquê se lerem o livro - é apenas uma adolescente esperando para comemorar o Natal com seus pais, contudo, os mesmos se meteram numa confusão numa loja da Flobie e acabaram sendo presos. Por causa disto, Jubileu é forçada a ir passar o Natal na Flórida com seus avós. Na noite da véspera de Natal, Jubileu estava viajando num trem que a levaria para a Flórida, tem a companhia de Jeb, um adolescente que está voltando à sua cidade para se encontrar com sua ex-namorada que o traiu numa festa, e de algumas líderes de torcida empolgadas e afetadas pelo trem e pela lanchonete.



No entanto, eles são parados pelo maior nevasca daquela região em 50 anos, eles param em frente à uma lanchonete chamada Waffle House. Jubileu se vê obrigada a sair do trem pois não quer morrer de fome e frio já que a comida do trem foi esgotada pelas líderes de torcida. Ela saiu do trem e atravessa a ferrovia para ir até a Waffle House. Lá, ela conhece Stuart.



Posso dizer que Staurt foi meu personagem favorito do livro todo, ele e Jeb. Stuar é um amorzinho e não tinha nem como ela não se apaixonar por ele. Stuart também está com o coração partido, como Jeb. Sua namorada, Chloe, era uma líder de torcida que apenas se aproveitava dele, e após o termino do namoro, ele ficou depressivo. Stuart conhece Jubileu na Waffle House, e quando ele vê que o trem dela não sairá da estação tão cedo, ele a convida para ficar na sua casa durante a noite, e ela aceita. Então, os dois vão caminhando até a cidadezinha ali perto (Gracetown), onde Stuart mora.





Stuart mora com a mãe e a irmã mais nova que são dois amorzinhos também. Jubileu se sente culpada por ter aceitado o convite de um garoto desse jeito, mas logo depois ela se toca que seu namorado não se importa nem um pouco com o que ela faz, na verdade, ele nem se importou quando ela ligou avisando que seus pais tinham sido presos e ela teria de viajar no Natal - que também é o aniversário de namoro do casal. Após isso, ela percebe que tem muitas coisas em comum com Stuart e a mãe dele lhe diz algo sobre ele que o faz pensar bastante sobre o mesmo, e assim o romance tão fofo entre os dois se desenvolve.



Posso dizer que este é meu conto favorito dos três. Ele foi escrito pela Maureen Johnson, e a mulher simplesmente é uma diva. Ela fez um romance lindo, mas sem ser meloso e clichê. A escrita é suave e bem sentimentalista, o que me fez ler o conto tão rápido que acabei ele em menos de uma hora e meia, e ainda pedia por muito mais. Esse é de longe o melhor conto dos três, e ainda acho que se tivessem colocado esse como último conto, o livro teria sido fechado com uma chave de ouro, mas o final também me agradou bastante. Infelizmente, os outros livros da Maureen nunca foram traduzidos para o Brasil, e eu chorei quando soube disso, porque estava para dizer que ela seria minha nova escritora favorita. Enfim, ela é diva, seu conto é melhor e Deixe a neve cair arrasou porque foi o conto dela que começou tudo.




~O milagre da torcida de Natal



O segundo conto, escrito por John Green, foi o que menos gostei. Sério, antes que começar a ler Deixe a neve cair, eu jurei a mim mesmo que me esforçaria para ler e gostar do conto de Green. Mas simplesmente não deu, gente. Eu cheguei ao capítulo 2 e achei tão chato que abandonei a leitura e só voltei a ler no dia seguinte. Achei muito lento e o romance foi pouco desenvolvido. Do nada, ela chegou lá e disse que gostava dele, e ele simplesmente se declarou para ela também, do nada. Achei estranho porque Green também não desenvolveu nem explicou os sentimentos dos personagens um com o outro sobre seu amor como as outras escritoras fizeram. 



Green nos mostrou três amigos fazendo uma maratona de filmes da noite das véspera de Natal quando Tobin, o protagonista do conto, recebe uma ligação de um amigo avisando que há um grupo de líderes de torcida na Waffle House, onde ele trabalha, e que elas estão loucas para jogar twister já que o trem em que estava ficou atolado na neve. Mas eles devem apostar corrida com outros dois grupos que estão loucos para ficar com as líderes de torcida. Os três amigos - Tobin, JP e Duke - iniciam uma aventura até chegar à Waffle House. 



Sinceramente, não gostei muito de Tobin,preferi a Duke. Sim, o nome dela é Duke, pois aconteceu que uma vez ela foi confundida com um menino por causa de seu estilo e personalidade, e o apelido pegou, seu verdadeiro nome é Angie. Duke é apaixonada por Tobin, mas eles jamais notou isso porque sempre teve uma queda por líderes de torcida, tanto as de seu colégio quanto as de outros - por isso eles estão correndo atrás das líderes da Waffle House. Quando ela se declara, segundos antes de entrarem na Waffle House, do nada Tobin também descobre que gosta dela, foi isso que estranhei no conto. Foi tão lento nos primeiros capítulos, mas Green só fez o romance no último capítulo. 




~O santo padroeiro dos porcos



O conto foi escrito pela Lauren Myracle.Esse conto com certeza é o mais divertido do livro, ficou no segundo lugar pra mim. Este conto narra a história de Addie, que está desesperada após o termino de namoro com seu namorado, Jeb. Após mais uma de suas crises, ela escreve um e-mail para Jeb pedindo que visse encontrá-la na Starbucks onde ela trabalha na véspera de Natal, mas ele não aparece. Addie entra em mais uma crise e faz uma loucura: corta o cabelo  e o pinta de rosa. 



No dia seguinte - dia do Natal - Addie briga com suas amigas após elas dizerem que Addie só pensa em si mesma e que Jeb terminou com ela porque ela o traiu numa festa, após os dois brigarem e ela beijar outro garoto. Mesmo brigadas, Addie promete que vai mudar e promete à sua amiga que irá buscar o tão adorado miniporco que ela estava esperando na Pet Shop. Claro, ela acaba se esquecendo do miniporco e ele é adotado por outra pessoa. Depois disso, Addie decide correr pela cidade inteira atrás da pessoa que o adotou. 



Gostei da história porque realmente percebi que ela mudou após passar por algumas situações. E melhor ainda:



Spoiler: Addie volta para a Starbucks depois de conseguir encontrar o miniporco e o entrega para sua amiga que está lhe esperando. Ela também encontra Tobin e sua namorada, Duke, e também Stuart e uma garota que ela nunca viu antes, chamada Jubileu. E... Jeb, seu namorado, entra pela porta parecendo um mendigo maluco após caminhar pela nevasca até ali pois seu trem havia ficado atolado por causa da nevasca.




A história foi fechada com chave de ouro após o encontro entre os personagens dos três contos. O final foi inesperado e mágico, mostrando a ligação entre os personagens do livro. Os autores quiseram nos mostrar que o Natal é uma época linda e maravilhosa que pode dar inicio a relacionamentos e finalizar problemas. 



Devo dizer, Deixe a neve cair entrou para a minha lista de favoritos e me fez descobrir uma escritora maravilhosa. Maureen Johnson simplesmente acabou com meu coração enquanto eu lia sua história. Stuart e Jubileu são, sem dúvida alguma, o melhor casal do livro. Apesar de alguns contratempos, o livro é realmente é bom e vocês devem ler com toda a certeza do mundo!







5 comentários:

  1. minha história favorita tb foi a da mauren, sturleu foi o melhor casal
    eu tb gosto do jeb mas não gosto da addie acho ela muito egoista
    eu gostava do jp do conto do john green, ele foi o unico engraçado, não vi graça nenhuma nos outros dois
    mesmo assim, deixe a nee cair foi um dos melhores livros que já li

    ResponderExcluir
  2. Tb não gostei do conto do john green achei que foi a historia mais fraca que ele já escreveu e o romance entre tobin e duke foi muito forçado no final
    Já maureen e lauren arrasaram e não foi só vc q gostou mais da historia da maureen, acho que todo mundo gostou pq stuart e jubileu foram o casal mais real e com um romance bem mais desenvolvido
    Já estou até ansiosa pela sua prox resenha, vc devia fazer um vlog no youtube, ia fazer sucesso

    ResponderExcluir
  3. vlw por indicar, vou procurar o pdf e ler

    ResponderExcluir
  4. qro mto ler esse livro e agora que tnho a resenha qro ainda mais

    ResponderExcluir
  5. Depois da " Cidades de Papel ", esse foi o livro que eu mais gostei, além das histórias, a leitura flui e acaba sendo divertida. Por conhecer John Green esperava mais dele nesse livro.

    ResponderExcluir